PretO nO rOs@

pesquisar

 

Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

posts recentes

Ser Criança

Dia Mundial da Criança

Ensino público vs Ensino ...

Educação sexual nas escol...

Autismo

Programa Erasmus

Apresentação

arquivos

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

tags

todas as tags

blogs SAPO

subscrever feeds

Domingo, 1 de Junho de 2008

Ser Criança

Criança é:

 

Sorriso fiel

Acreditar que tudo é possivel.

 

 

Pura inocência

Magia todo o dia

 

Novas descobertas explorar

Passar o tempo a brincar

Cantar, pular, sujar.

 

Em tenra idade

espalhar felicidade.

 

Tudo ser maior

O pai, a mãe e a avó

 

Imitrar o cão, o gato e dizer não.

 

Aprender as cores, os números

Idolatrar os professores

 

Encarar o dia de hoje como uma verdadeira prenda =D 

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me: Feliz
publicado por pretO nO rOs@ às 18:49
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Dia Mundial da Criança

Conheces os teus direitos???
           
            Em 1959 foi aprovado pela ONU a “Declaração dos direitos da criança”, esta é composta por 10 direitos de maneira a tornar todas as crianças felizes, saudáveis e seguras. Mas nunca podes esquecer que também tens algumas responsabilidades.
 
1º Direito
Todas as crianças são beneficiadas por estes direitos, não havendo nenhuma discriminação de raça, cor, sexo, língua, religião ou classe social. Toda e qualquer criança do mundo deve ter os seus direitos respeitados.
 
2º Direito
Todas as crianças têm direito a protecção especial e a todas as facilidades e oportunidades para se desenvolver plenamente, com liberdade e dignidade. As leis deverão ter em conta os melhores interesses da criança.
 
3º Direito
Desde o dia em que nasce toda a criança tem direito a um nome e uma nacionalidade, ou seja, ser cidadão de um país.
 
4º Direito
Toda a criança tem o direito de crescer com saúde, para isso as futuras mães também tem o direito a cuidados especiais, para que os seus filhos possam nascer saudáveis. Têm também o direito a alimentação, habitação, recreação e assistência médica
 
5º Direito
As com deficiência física ou mental devem receber educação e cuidados especiais exigidos pela sua condição particular. Porque elas merecem respeito como qualquer criança
 
6º Direito
Toda a criança deve crescer num ambiente de amor, segurança e compreensão. As crianças devem ser criadas sob o cuidado dos pais e as mais pequenas nunca deverão separar-se da mãe, a menos que seja necessário (para bem da criança). O governo e a sociedade têm a obrigação de fornecer cuidados especiais para as crianças que não têm família nem dinheiro para viver decentemente
 
7º Direito
Toda a criança tem direito a receber educação primária gratuita para que possa ter oportunidades iguais para desenvolver as suas habilidades. E têm também o direito de brincar e divertir-se, dado que brincar também e uma boa maneira de aprender.
 
8º Direito
Tanto num acidente como em qualquer emergência, a criança deverá ser sempre a primeira a receber protecção de socorro dos adultos.
 
9º Direito
Nenhuma criança deverá sofrer de negligência (maus tratos ou falta de cuidados), dos responsáveis ou do governo, nem por crueldade ou exploração. Não será nunca objecto de tráfico (tirada dos pais e vendida e comprada por outras pessoas).
Nenhuma criança deverá trabalhar antes da idade mínima, nem deverá ser obrigada a fazer actividades que prejudiquem sua saúde, educação e desenvolvimento.
 
10º Direito
A criança deverá ser protegida contra qualquer tipo de preconceito, seja de raça, religião ou posição social. Toda criança deverá crescer num ambiente de compreensão, tolerância e amizade, de paz e de fraternidade universal.
 
            Se tudo isto for cumprido, no futuro as crianças poderão viver em sociedade como bons adultos e contribuir para que outras crianças também vivam felizes!
 
Adaptado de http://www.junior.te.pt/servlets/Rua?P=Sabias&ID=203

 

 

publicado por pretO nO rOs@ às 14:44
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 30 de Maio de 2008

Ensino público vs Ensino privado

 

                  Existe uma ideia predominante relativa à qualidade das escolas privadas ser superior às escolas públicas. Contudo corresponderá este estereótipo à realidade?

Com nove nas dez primeiras, a liderança das escolas privadas no ranking 2007 é inquestionável. Mas não devemos retirar conclusões precipitadas que coloquem as escolas privadas como naturalmente melhores que as públicas. As primeiras tendem a lidar com elites, tanto económicas como culturais, e são as segundas que enfrentam o desafio do país real.
O ensino público não pode ser confundido com más escolas e o ensino privado nem sempre é sinónimo de qualidade. Basta notar que nas dez piores do ranking estão três estabelecimentos privados.
Numa sociedade aberta como Portugal tem de haver lugar para o ensino privado, sobretudo de qualidade. Mas convém não esquecer que é o ensino público aquele que tem obrigação de garantir a igualdade de oportunidades.
Se for feito um estudo sobre o ambiente do grupo restrito das melhores escolas privadas e o das escolas públicas, não é difícil prever a enorme diferença média quanto à origem social, nível de escolaridade dos pais, frequência de ensino pré-escolar, etc. A segmentação social é um dos dados mais característicos das melhores escolas privadas.
E tu frequentas-te o ensino público, privado ou até ambos? Qual a melhor opção?
adaptado:http://pslumiar.blogs.sapo.pt/628956.html
 

 

 

publicado por pretO nO rOs@ às 11:16
link do post | comentar | ver comentários (13377) | favorito
|
Sexta-feira, 16 de Maio de 2008

Educação sexual nas escolas!?

             A sexualidade ainda hoje continua a ser um tabu para a maioria dos pais, a educação que receberam ou os meios onde viveram não lhes permitiu serem muito abertos no que toca a este assunto e isso faz com que se sintam inibidos de falar com os seus filhos, muitos até pensam “o/a meu/a minha filho/a ainda e muito novo/a”, “ele/a ainda não faz essas coisas”…

            O que é certo é que hoje em dia os jovens começam cada vez mais cedo a descobrir a sexualidade e apesar de muita informação já existente continuam a existir bastantes dúvidas e cada vez mais casos de gravidez na adolescência, o que nos leva a crer que é bastante importante que os adolescentes tenham um adulto com quem possam falar abertamente.
            Cabe então aos professores e educadores assumir  também esse papel fundamental, talvez por não sermos da família os adolescentes se sintam mais à vontade para questionar certas coisas do que com os próprios pais.
            Torna-se cada vez mais uma necessidade de existir educação sexual (numa perspectiva disciplinar) nas escolas, sendo um direito das crianças/adolescentes e até mesmo dos próprios pais. Dando assim a conhecer a sexualidade, nomeadamente as DST (doenças sexualmente transmissíveis) e a gravidez não desejada e precoce. Este tema nas escolas, tem como objectivo principal tornar as crianças e os jovens mais responsáveis nas suas atitudes e nas decisões que tomam.
            Para se poderem exprimir da melhor forma é importante que os professores tenham no mínimo uma pequena formação (o que explicar aos alunos e a melhor forma de o explicar), algumas ESE’S (escolas superior de educação), como a de Setúbal do Porto entre outros, já começaram a apostar nesta formação, também era importante existirem acções de formação para os próprios encarregados de educação.
 
Sexualidade nas escolas. Sim ou Não, eis a questão?

 
publicado por pretO nO rOs@ às 18:47
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Segunda-feira, 5 de Maio de 2008

Autismo

O autismo é uma perturbação global do desenvolvimento infantil que se prolonga por toda a vida e evolui com a idade. O bebé com autismo apresenta determinadas características diferentes dos outros bebés da sua idade. Pode mostrar indiferença pelas pessoas e pelo ambiente, pode ter medo de objectos. Por vezes tem problemas de alimentação e de sono. Pode chorar muito sem razão aparente ou, pelo contrário, pode nunca chorar.

Quando começa a gatinhar pode fazer movimentos repetitivos (bater palmas, rodar objectos, mover a cabeça de um lado para o outro). Ao brincar, não utiliza o jogo social nem o jogo de faz de conta. Ou seja, não interage com os outros, pode não dar resposta aos desafios ou às brincadeiras que lhe fazem. Não utiliza os brinquedos na sua função própria. Um carro pode ser um instrumento de arremesso e não um carro para rodar no caminho. Uma boneca pode servir para desmanchar e partir mas não para embalar.

Dos 2 aos 5 anos de idade o comportamento autista tende a tornar-se mais óbvio. A criança não fala ou ao falar, utiliza a ecolália ou inverte os pronomes. Há crianças que falam correctamente mas não utilizam a linguagem na sua função comunicativa, continuando a mostrar problemas na interacção social e nos interesses.

 

Características gerais das crianças autistas:

- Fisicamente sadios e de boa aparência;

- Desconhecimento da sua própria identidade;

- Falta de comunicação;

- Não mantêm o contacto visual;

- Retraídos, apáticos e desinteressados;

- Indiferença em relação ao ambiente que os rodeia;

- Resistência a mudanças de ambiente;

- Incapacidade de julgar;

- Ansiedade frequente e excessiva e aparentemente ilógica;

- Hiperactividade e movimentos repetitivos;

- Entorpecimento nos movimentos que requerem habilidade.

 

            O presente tema retrata uma realidade cada vez mais presente entre nós. É intimidante o facto dos casos de autismo diagnosticados terem vindo a aumentar ao longo dos últimos anos. Segundo os intervenientes do programa da Oprah Winfrey sobre este tema, existe 1 criança autista em cada 150 crianças. Contudo muitas pessoas ignoram esta doença fazendo com que muitos familiares se sintam incompreendidos.

Outra questão adjacente ao autismo é a inclusão nas escolas, ou seja, estas crianças ingressarem no ensino regular. A questão que nos preocupa, como futuras educadoras, é como responder às necessidades especificas destas crianças, visto que até ao momento não existem qualquer tipo de formação dirigida às necessidades educativas especiais para os professores em geral.

A discriminação também é uma realidade nas escolas, seja da parte de outros pais, como das próprias crianças.

 

Qual o futuro educativo destas crianças?

 Sou uma boneca!!!!!!!

Adaptado: http://www.appda-lisboa.org.pt/federacao/autismo.php

tags:
publicado por pretO nO rOs@ às 09:50
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|
Sexta-feira, 11 de Abril de 2008

Programa Erasmus

 
O programa Erasmus foi criado no âmbito do Programa de Acção de Educação da Comunidade Europeia, em Fevereiro de 1976, um programa inter-universitário que envolve a atribuição de bolsas de estudo. 
Assim sendo, em 1987 foi oficialmente introduzido com o alvo da aumentar a mobilidade de estudantes dentro da Comunidade Europeia, primeiramente em países europeus da área económica, e agora também os países candidatos como Bulgária, Roménia e Turquia.
            Erasmus foi criado com a finalidade de reforçar a dimensão europeia na educação, melhorando qualitativamente e quantitativamente o conhecimento das línguas da U.E, especialmente das menos utilizadas e ensinadas. O programa Erasmus também foi criado com para que haja uma cooperação entre vários países no que diz respeito à educação, incentivando e inovando no que diz respeito às práticas pedagógicas e materiais didácticos, promovendo uma igualdade de oportunidades a todos os domínios da educação.
A internacionalização foi rápida e ouve um forte acompanhamento tanto pela parte dos responsáveis pela educação, como pelos responsáveis pelas instituições.
A Acção Erasmus destina-se a aumentar a qualidade e a reforçar a dimensão europeia no ensino superior, incentivando a cooperação transnacional entre universidades, nomeadamente através da promoção da mobilidade e intercâmbio de estudantes, tendo em vista a melhoria, a transparência e o reconhecimento académico de estudos e habilitações em toda a Europa.
         Os países participantes no programa Erasmus são os 25 Estados-membro da União Europeia: Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Grécia, Espanha, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Países Baixos, Áustria, Portugal, Suécia, Reino Unido, Eslováquia, Eslovénia, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Polónia, República Checa, Roménia, Malta e Chipre; os países da EFTA/EEE1: a Islândia, o Liechtenstein e a Noruega e os seguintes países da Europa Central e Oriental, candidatos à adesão: Turquia, Bulgária e Roménia.
adaptado de http://wralth.tripod.com/erasmus/id1.html
 

 

            Agora que sabes mais sobre o programa Erasmus eras capaz de entrar nesta nova era da educação?
 

publicado por pretO nO rOs@ às 11:07
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|
Sexta-feira, 4 de Abril de 2008

Apresentação

Bem vindos...

Somos alunas do primeiro ano do curso de Educação Básica, e no âmbito da disciplina de tecnologias de informação e comunicação na escola criámos este blog com a finalidade de debater assuntos da actualidade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por pretO nO rOs@ às 11:56
link do post | comentar | favorito
|

links